domingo, 31 de julho de 2011

AMIGO(A) IRMÃO CAMARADA



Amigo é coisa para se guardar dentro do peito, no fundo do coração.....diz o poeta.  
Mas os meus amigos são especiais, cada um com seu dom, ideias, personalidade, defeitos...... mas sensacionais e os amigos de meus amigos são seres Divinos.
O amigo te respeita, te aceita, diz as verdades com amor e cala que o tempo do outro não chegou.
Maravilhosos amigos, sejam feliz, e busque sempre a felicidade. 

Patricia/kalytzeenn-kaly   

AMOR E ÓDIO SENTIMENTOS IGUAIS EM INTENSIDADE, POREM DIFERENTES EM SUA ESSÊNCIA











O amor e o ódio são sentimentos com a mesma intensidade, são extremos e perseverantes nos seus objetivos, só que um rejuvenesce, expande em luz, é escudo para o mau, deixam as pessoas felizes sorridentes, com a capacidade de materializarem seus sonhos e coragem para mostrarem seu lado criativo, aproxima- se de Deus.
Causa entusiasmo, paz, serenidade......porque não dizer orgasmos múltiplos de AMOR , FELICIDADE, é como o Girassol, sempre direcionado para o sol a luz Divina é atração.
É como perfume, mágico, quente e sensual.



Já o outro destrói mata em ação e em pensamento, escure e endurece o coração, te leva a ruína pela raiz, dá brecha para mau entrar, é o sentimento animal e totalmente irracional, não tem luz e
nem beleza.

Patricia/Kalytzeenn-Kaly

CAROS SEMPRE HÁ SAÍDAS EM UM UNIVERSO APARENTEMENTE ESCURO, LIBERTAR-SE E APRENDA COM OS NÓS DA VIDA, QUE FAZ VOCÊ SER MELHOR. SAIBA QUE A VIDA É COMO O CALDEAR DA ESPADA, HORA FRIO , HORA QUENTE PARA SER UMA BOA ESPADA E ASSIM SAIR EM CAMPO COMO UM GUERREIRO PACÍFICO, AMANTE DA PAZ. O IDEAL É REFLETIR E MUDAR, DE COMO VÊ E PENSA DAS COISAS, SAIBA VOCÊ É O QUE VOCÊ PENSA E FAZ.




BECO SEM SAÍDA


Tanto os descrentes como os religiosos vivem a falar em crise. Isso demonstra que eles desconhecem a realidade das coisas.
Se é a crise que abre caminho para o progresso, ela deixa de ser crise. Podemos compará-la à pausa para tomar fôlego, na corrida, ou aos nós do bambu. As varas do bambu se mantêm firmes devido à formação de nós no curso de seu desenvolvimento; se lhes faltassem nós, não apresentariam sua conhecida resistência. Quanto mais nós tem o bambu, mais forte ele é.
A natureza é sempre um bom exemplo. Observá-la minuciosamente facilita a compreensão da maioria das coisas.
Falávamos em crises que surgem naturalmente. Entretanto, existem muitas pessoas que entram em crise por falta de sabedoria e de capacidade para prever o futuro. Elas criam para si mesmas crises artificiais; ficam desnorteadas quando entram num beco sem saída. Aconselho que todos atentem bem para este assunto, porque terão nele boas inspirações nos momentos críticos. Basta descobrir a falha que motivou a crise.
O homem precisa polir constantemente a sua inteligência. É por isso que os Ensinamentos devem ser lidos tantas vezes quanto possível.
29 de outubro de 1952


LIBERTAÇÃO

Fala-se em libertação, mas não é fácil defini-la como algo bom ou mau. De acordo com a idéia geral, libertar-se significa sair de um estado de confusão e obter Iluminação, desapegar-se, ou ter desprendimento. Expressão muito usada no budismo, soa como fuga ou isolamento, e é um conceito característico dos orientais.
Em termos de prática cotidiana, há uma redução da atividade material à medida que aumenta a Iluminação. Isto é, perde-se o espírito de competição e os países entram em decadência. Exemplo disso é a Índia.
Geralmente, o homem tem entusiasmo pela vida graças à ilusão, mas o excesso de ilusões é perigoso. A resignação enfraquece o ritmo das atividades, mas a falta de resignação também gera tragédias, principalmente quando se trata do relacionamento amoroso. Portanto, a renúncia total é pouco aconselhável, porque elimina o sabor da vida. A pessoa se torna solitária, vive como se fosse um corpo sem alma.
Refletindo sobre o que acabamos de expor, logo percebemos que todo exagero é prejudicial. É bom ter noção de limites. Este mundo é realmente difícil e interessante; doloroso e agradável. Mal podemos distinguir as fronteiras da alegria e do sofrimento.
Creio que o homem deve se desapegar no momento adequado, e insistir quando o caso merece ser levado adiante. Quando procura forçar a situação, a pessoa fica indecisa, e esta indecisão mostra que ainda não é o momento propício e que é preciso esperar o tempo certo, de acordo com o tempo, circunstância e nível. O fundamental é saber ceder às circunstâncias, descobrindo os meios mais convenientes de agir. Isso exige Inteligência Superior. Ela é que gera a capacidade de correto discernimento, a qual aumenta na medida em que diminuem as máculas do espírito.
O essencial, portanto, é eliminar as máculas espirituais, o que requer sinceridade. E a sinceridade nasce da fé. Aquele que aceitar e praticar este princípio, será considerado homem íntegro.
25 de janeiro de 1951

A PARÁBOLA DA ESPADA

Antigamente, para se fazer uma boa espada, era necessário esquentar o aço até a incandescência, batê-lo com martelo, sobre uma bigorna, e, a seguir, colocá-lo na água. Repetia-se várias vezes essa operação, isto é, caldeava-se e batia-se o aço em brasa, mergulhando-o, depois, na água.
O interessante é que esse princípio também se aplica à vida humana. A divulgação da nossa Igreja, com o decorrer do tempo, encontrou várias críticas e obstáculos, isto é, contratempos e ataques, para, em seguida, receber elogios e louvores. Experimentamos, portanto, do fogo escaldante ao mergulho na água fria.
Muitas vezes me perguntam: "Por que ocorrem fatos tão contrastantes?" Para essas perguntas eu dou como resposta o exemplo do caldeamento da espada, e as pessoas compreendem bem.
Desde os tempos mais remotos, quem executa uma obra fora do comum não só recebe louvores, mas também perseguições, oriundas do despeito. É nessa luta, porém, que reside o mérito de alcançarmos fortalecimento. É como a espada, que só adquire todas as qualidades graças à alternância do caldeamento e esfriamento e às fortes marteladas sobre a bigorna. Analisando sob o aspecto religioso, significa que Deus impõe maior sofrimento a quem tem maior missão, o que não deixa de ser motivo de alegria.
1949

ATITUDE MENTAL
Existe um único ponto de vital importância: é a forte vontade de crescer e expandir custe o que custar. Esta atitude é fundamental.
O pior pensamento a seu próprio respeito é pensar “não tenho capacidade”. Pense assim: “eu também sou um ser humano. Se aquela pessoa está fazendo, eu também serei capaz de fazer.”
Aquele que nunca desiste, com uma forte determinação para realizar o seu trabalho – mesmo cometendo falhas ou sendo ridicularizado pelos outros – certamente crescerá bastante. Eu próprio trabalho com essa atitude. Entretanto, aqueles que desistem após o primeiro fracasso não servem, de fato, para o trabalho.
Há um provérbio que diz: “a resignação é importante.” Em algumas circunstâncias isso é verdadeiro mas, neste caso, a “não resignação” é fundamental. Em resumo, devemos desistir quando a causa não for boa e, pelo contrário, ter força de vontade para as boas causas.
1950
Meishu-Sama





BATE OUTRA VEZ A ESPERANÇA NO MEU CORAÇÃO, E AS ROSAS NÃO FALAM, MAS EXALAM O AROMA DO OBJETIVO A SER ALCANÇADO, A FELICIDADE EM PRIMEIRO LUGAR. MUITO OBRIGADO POR VOCÊS EXISTIREM, UM BEIJO NO CORAÇÃO



LINDO DE VER E BOM PARA REFLETIR


sábado, 30 de julho de 2011

ORAÇÃO DA LIBERTAÇÃO

Mmeu Deus e Deus meu! Afastai de mim o inimigo que está querendo tirar a minha vida! Que está querendo tirar-me de vós! Meu Deus e Deus meu! Acorrentai todos os inimigos que querem me acorrentar! Eu sempre acreditei no vosso poder! Sempre acreditei que sois um Deus forte! Um deus imortal! Sempre acreditei que nunca desamparastes um justo sofredor! Agora eu sei que me resgatastes dos meus inimigos! Vós sois a minha rocha! O meu imperador! Minha fortaleza! O consolador dos meus sentimentos! Meu Deus! Sois a luz do meu ser! Sois a minha verdade que sempre acreditei e continuo a acreditar! Acredito que não podes me abandonar neste momento de desespero, de angustia, e de aflição, porque sois também Deus dos desesperados, dos angustiados e dos aflitos! Deus meu e meu Deus! Neste momento eu me sinto mendigo diante de vós e vós sois também deus dos mendigos, porque são sofredores! Sinto-me fraco diante de vós e dos vossos ensinamentos, mas sei que sois também Deus dos fracos! Sinto-me oprimido diante de vós e do vossos chamado, pois vós sois o meu Deus! A minha rocha! E minha fortaleza! E por isso entrego-me a vós como mendigo, fraco, oprimido, desesperado, aflito e angustiado, mas entrego-me a vós, Jesus, como vosso servidor! Este servidor que quer te servir com todas as (suas) fraquezas e com todas as (vossas) fortalezas! Amém!
Amém.

ORAÇÃO PARA O ANJO DA GUARDA

vela
em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Senhor Deus, Todo-poderoso, criador do céu e da terra. Louvores Vos sejam dados por todos os séculos dos séculos. Assim seja. Senhor Deus, que por vossa imensa bondade e infinita misericórdia, confiaste cada alma humana a cada um dos anjos de vossa corte celeste, graças vos dou por essa imensurável graça. Assim confiante em vós e em meu santo anjo da guarda, a ele me dirijo, suplicando-lhe velar por mim, nesta passagem de minha alma, pelo exílio da Terra. Meu santo anjo da guarda, modelo de pureza e de amor a Deus, sede atento ao pedido que vos faço. Deus, meu criador, o Soberano Senhor a quem servis com inflamado amor, confiou à vossa guarda e vigilância a minha alma e meu corpo; a minha alma, a fim de não cometer ofensas a Deus, o meu corpo, a fim de que seja sadio, capaz de desempenhar as tarefas que a sabedoria divina me destinou, para cumprir minha missão na terra. Meu santo anjo da guarda, velai por mim, abri-me os olhos, dai-me prudência em meus caminhos pela existência. Livrai-me dos males físicos e morais, das doenças e dos vícios, das más companhias, dos perigos, e nos momentos de aflição, nas ocasiões perigosas, sede meu guia, meu protetor e minha guarda, contra tudo quanto me cause dano físico ou espiritual. Livrai-me dos ataques dos inimigos invisíveis, dos espíritos tentadores. Meu santo anjo da guarda, protegei-me.
(rezar 1 Creio em Deus Pai, 1 Pai nosso e 1 Ave Maria)Amém.

FILMES INTERESSANTES A SEREM VISTOS

ANJOS

As
 primeiras descrições sobre anjos apareceram no Antigo Testamento. A menção mais antiga de um anjo aparece em Ur, cidade do Oriente Médio, há mais de 4.000 a.C.. Na arte cristã eles apareceram em 312 d.C., introduzidos pelo Imperador romano Constantino, que sendo pagão, converteu-se ao cristianismo quando viu uma cruz no céu, antes de uma batalha importante.
Em 325 d.C., no Concílio de Nicéia, a crença nos anjos foi considerada dogma da Igreja.
Em 343 d.C. foi determinado que reverenciá-los era idolatria e que os anjos hebreus eram demoníacos. Em 787 d.C. no Sétimo Sínodo Ecumênico definiu-se dogma somente em relação aos arcanjos: Miguel, Uriel, Gabriel e Rafael. Os escritos essênios, sociedade da qual Jesus fazia parte, estão repletos de referências angelicais.
No Novo Testamento, anjos apareceram nos momentos marcantes da vida de Jesus: nascimento, pregações, martírio e "ressurreição". Depois da ascensão, Jesus foi colocado junto ao Anjo Metatron.
São Tomás de Aquino foi um estudioso do assunto. Ele dizia que os anjos são seres cujos corpos e essências, são formados de um tecido da chamada luz astral. Eles se comunicam com os homens através da egrégora, podendo assim assumir formas físicas.
Os anjos eram chamados de DAIMONES pelos gregos, o que significa também gênios ou seres sobrenaturais. Nessa categoria, encontramos os obreiros de Deus: gnomos e duendes (terra); fadas e silfos (ar); salamandras (fogo) e ondinas (água).
O nome Daimones, porém, correspondente à palavra "demônio", como entendiam os autores eclesiáticos.
Tal fato desperta uma grande curiosidade sobre o tema, já que interesses religiosos fizeram de tudo para que isso não chegasse ao conhecimento popular, principalmente nas Cruzadas, onde textos e escrituras foram eliminados em nome de Deus. Os anjos (Daimones), que protegem os seres humanos, são diferentes dos Daimones, que ficam fora do nosso controle. Eles são perceptíveis ao nosso conhecimento, mas difíceis de mantermos contato, ainda que seja possível entrar em sua sintonia.
Os silfos, por exemplo, são elementos do ar que nos ajudam na propagação dos recados. Por esse motivo, quando fazemos um pedido escrito ao anjo e queimamos o papel, assopramos as cinzas (elemental fogo) ou sentimos vontade de andar para colocar idéias em ordem, como faziam os grandes filósofos. Utilizamos a força das ondinas (elemental água) para nossas emoções e os gnomos e duendes (elemental terra) para prosperidade.
Assim como estamos presos à terra pelas leis da gravidade e não podemos ficar suspensos no céu, os anjos têm dificuldades para ficar conosco na terra. O que dá consistência para sua permanência é a luz ou energia de nossa aura. De uma forma mais simples, poderíamos dizer que a aura é para o anjo o mesmo que o oxigênio é para nós. Se estamos bem, automaticamente são reforçadas nossa simpatia e presença.
Quando estamos tristes ou deprimidos nossa aura diminui e o anjo não atua, dando força ao nosso anjo contrário. Isto nos faz antipáticos. O anjo guardião, que não participa das infelicidades, pede ajuda para que outro anjo resolva nossos problemas. Ficar em sintonia com seu anjo guardião é anular, neutralizar a força do gênio contrário. Com isso sua vida há de prosperar, já que Deus é prosperidade e quer que você prospere também.
Quando fazemos uma oração, nosso anjo não ouve ou sente o pedido. Nesse momento nossa aura muda de cor e é isso que ele compreende. Quando oramos, nossa aura torna-se azul ou verde. Já quando abraçamos uma pessoa querida, ela fica cor de rosa, o que faz, com certeza, nosso anjo bater as asas no plano etéreo.
Á quem diga que os anjos estão de volta. Um pouco estranha esta frase, porque na verdade eles nunca foram embora. Analisando as religiões milenares existentes, podemos observar a presença destes seres em todas elas, seja nas mais diferentes formas e com os mais diversos nomes. Anjos são os mensageiros de Deus. São elementais, seres de luz, com todas as suas propriedades: velocidade, brilho e poder de cura. Os Anjos sempre estão ao seu lado, não importa que você nunca tenha dedicado sua vida a ele, diríamos que são nossos "treinadores" da vida, nos orientando, nos conduzindo e até mesmo nos incentivando.
Os Anjos são como nossos pensamentos. Não os vemos, sabemos que existem e podemos tê-los quando quisermos, sem limites! Estes seres maravilhosos podem manifestar-se a nossa volta, usando todos os tipos de artifícios necessários, para que entendamos os seus "sinais", eles tomam até mesmo a forma da figura humana. Quem já não teve na vida uma experiência, na maioria das vezes desesperadora, onde surgiu do nada uma pessoa estranha, com o único intuito de ajudar naquele momento e depois desaparecer, tão misteriosamente como surgiu?
Pois são exatamente eles...São nossos Anjos que vem em nosso auxílio num momento de desespero. Mas não precisa também ser obrigatoriamente na forma humana. Eles nos mandam mensagem constantemente, basta apenas estarmos atentos.

MUSICAS E SITE LEGAIS

 http://www.vagalume.com.br/diogo-nogueira/fe-em-deus.html

Fé em Deus, cantor Diogo Nogueira
O bem, cantor Arlindo Cruz
Tô fazendo a minha parte, cantor Diogo Nogueira

sexta-feira, 29 de julho de 2011

A RESPEITO DO ESPÍRITO DA PALAVRA


Na Bíblia está escrito: “No princípio era o Verbo. Todas as coisas foram feitas por ele”. Isso se refere à ação do espírito da palavra. Começarei explicando o significado fundamental dessa expressão.
A palavra, naturalmente, é constituída e emitida pela ação da voz, da língua, dos lábios e do maxilar inferior, mas a origem dessa emissão, não resta dúvida, é o pensamento, que se manifesta em forma de palavras. O pensamento é a manifestação da vontade. Suponhamos que surja no homem alguma vontade. Para manifestá-la através de palavras, o pensamento entra em ação. Naturalmente, na ação do pensamento ocorre o discernimento do correto e do incorreto, do bem e do mal, do sucesso e do insucesso, etc. O conjunto disso é a inteligência, e sua manifestação é o espírito da palavra; a materialização do espírito da palavra é a ação. Baseados nesse princípio, não estaremos equivocados se dissermos que existem três níveis: pensamento, espírito da palavra e ação. Assim, o pensamento está ligado ao Mundo Espiritual; o espírito da palavra, ao Mundo do Espírito da Palavra; a ação, ao Mundo Material. Isto é, o espírito da palavra fica entre o oculto e o manifesto. Pode-se dizer que ele é mediador entre o pensamento e a ação. Através disso, poderão compreender quão importante é o seu papel.
O espírito da palavra é semelhante a uma marionete: a manifestação da alma ou do espírito fica à sua mercê. Irritar as pessoas ou fazê-las rir, preocupá-las ou tranqüilizá-las, entristecê-las ou alegrá-las, provocar conflitos ou paz, obter sucesso ou insucesso, tudo depende do espírito da palavra. Usá-lo de forma leviana é muito perigoso.
Por outro lado, apenas manejar habilmente o espírito da palavra, não passaria de uma simples técnica. A pessoa se assemelharia a um humorista, comediante ou comentarista. Se na base do espírito da palavra não houver força para a manifestação de um grande poder, não há qualquer sentido. Mas, tratando-se de força, existe a benigna e a maligna. Ou seja, o espírito das palavras malignas constitui pecado, e o espírito das palavras benignas constitui virtude. Assim, o homem deve se esforçar para usar o espírito das palavras benignas. Nestas, evidentemente, o fundamental é o “makoto”, que se origina de Deus. Portanto, não há outro recurso senão reconhecer a existência de Deus. Se a pessoa não for religiosa, não conseguirá manifestar o verdadeiro makoto, e por isso não se manifestará a força benigna no espírito da palavra.
1950
 Meishu-Sama

A CABALA

Os cabalistas sabem do poder das palavras. Sabem que a palavra negativa destrói a vida de quem a usa, assim como a palavra construtiva eleva e transforma. Trata-se de um tema fundamental da Cabala: se você dá a devida atenção à sua relação com as palavras, isso, por si só, pode eliminar toda a negatividade de sua vida.
Sugiro que troque a maledicência por palavras de Luz. Cada palavra amorosa levar algo muito bom ao mundo. Utilize  boas palavras.

VIDEOS INTERESSANTES


Glandula Pineal parte 3/7 (YouTube


Glândula Pineal pelo Dr Sergio Felipe de Oliveira
Vídeo Meishu Sama (YouTube)
Gipsy Kings - Volare (YouTube)
Programa Bastidores Ritual Cigano (YouTube) (Neste vídeo, falo de Sta Sara Kaly  )

FILMES INTERESSANTES A SEREM VISTOS

O poder além da vida.
O amor além da vida
Sexto sentido
Profecia Celestina
Os outros
Antes de partir
Mudança de habito

Mestre Meishu-Sama, ensina homens a salvar ostros homens através do Johrei, agricultura natural e o belo. O Messias salvador da humanidade




Luz do Oriente
Cerca de dois mil anos atrás, em alguma parte da Europa, surgiu a expressão "Luz do Oriente" que, aos poucos, se espalhou pelo mundo. Hoje é uma expressão corrente, mas o seu verdadeiro significado continua sendo um enigma.
O que é Luz do Oriente? Na verdade é um profecia sobre o advento de Meishu Sama. Vou ilustrar essa afirmação falando primeiramente do lugar onde nasci e das minhas sucessivas mudanças de residência.
Nasci em Tóquio, na favela de Hashibacho, no bairro de Assakussa. O Japão está localizado no extremo leste do globo terrestre. Tóquio, em japonês, significa capital do Leste. O bairro de Assakussa fica na parte mais oriental de Tóquio. A parte mais oriental de Assakussa é Hashibacho. A leste de Hashibacho fica o rio Sumida. Portanto, esse lugar é o extremo leste do globo terrestre. E foi ali que eu nasci.
Quando eu tinha oito anos de idade, minha família mudou-se para senzokucho, que fica a Oeste de Hashibacho. Quando terminei o curso primário, mudei-me para Naniwacho, no bairro de Nihon Bashi. Em seguida para Tchikujicho, bairro de Kyobashi. Depois para Ooicho, no bairro de Ebara. A seguir para Omori. Depois para Hiragacho, no bairro de Koojimachi. Depois para Temagawa, Hakone, Atami e, finalmente, para Kyoto. Portanto, mudei de residência mais de dez vezes. Com exceção de Koojimachi, dez vezes para o Oeste.
Doravante, mudar-me-ei cada vez mais para o oeste. Um dia irei para a China e mais tarde chegarei à Europa.
Quando verificamos todas as culturas existentes no Japão até agora, vemos que a maioria nasceu no Oeste e depois se desenvolveu transferindo-se para a direção Leste.
O mesmo ocorreu com as religiões: o budismo, o cristianismo, o xintoísmo e algumas ramificações do budismo – nasceram todas no Oeste e vieram para o Leste.
A única religião que nasceu no Leste é Nichirem. E há nisso um profundo significado.
A significação original do budismo era a salvação durante a período do Mundo da Noite. O budismo é protegido pelo deus lunar.
Mas, tendo chegado o tempo da transição do Mundo da Noite para o Mundo do Dia, e como todas as coisas acontecem antes do mundo espiritual, já 700 anos atrás entramos um passo na era da aurora.
Para isso nasceu Nichiren Shonin. Quando Nichirem terminou o seu aprimoramento, adotou a firme decisão de divulgar o Sutra de Lótus Branco.
Ele primeiramente voltou a Abo, onde nasceu, escalou o monte Seicho, perto do mar, e rezou em voz alta Namuho-rengueikyo ao nascer do Sol, voltado para o Leste. A partir de então, passou a divulgar o poder e a graça do Sutra de Lótus Branco e estabeleceu uma escola de budismo que existe até hoje.
Essa grande obra de Nichirem foi a primeira pedra lançada da Luz do Oriente. Observando esse fato do ponto de vista espiritual, vemos que o mundo espiritual ainda estava na era da Noite, antes do alvorecer, e que o Sol, antes de nascer, emitiu um pequeno raio.
Embora invisível aos olhos humanos, foi esse um acontecimento divino importante, um passo à frente do grande Plano de Deus.
Seis séculos mais tarde, no dia 15 de junho de 1931, eu, acompanhado de mais de 30 pessoas, escalei o monte
Nokoguiri e, ao nascer do Sol, rezei Amatsu Norito. Ocorreu então um fato misterioso, sobre o qual, ainda, não posso falar, um evento que faz parte do Plano de Deus, no momento da Transição da Noite para o Dia.
O interessante é que o monte Seicho ( a montanha que Nichiren subiu) está situado a Leste de Nokoguiri, como montanha-irmã.
O budismo, o confucionismo, a medicina Kampôo (de ervas) – em suma, toda a cultura que surgiu no início do Japão – vieram da China e da Coreia. Mais recentemente foi importada a cultura ocidental, mas a cultura do Japão veio toda do Ocidente, com exceção da seita Nichiren, a única que nasceu no Japão.
Devemos observar que através da cultura oriunda do ocidente não foi possível criar um mundo de paz e felicidade. Sem dúvida, o mundo alcançou um maravilhoso grau de civilização material, mas isto não trouxe felicidade ao ser humano, como não o trará no futuro. O homem, no fundo de seu pensamento, leva uma vida destituída de esperança, sempre acompanhada de alguma insegurança. Mas no fundo do coração, todos procuram a luz da esperança que, na verdade é a Luz do Oriente.
Até agora a cultura passou por uma migração às avessas, transferindo-se do Oeste para o Leste.
Ora, quando olhamos a grande Natureza, vemos que o Sol e a Lua nascem no Leste e se põem no Oeste. O que nasce no Leste é a verdade eterna. Para alcançar a felicidade genuína é preciso acreditar nessa verdade e praticá-la.
Assim, a água suja que vem do ocidente para o Oriente é purificada e reenviada ao Ocidente. E assim será criado um mundo puro, límpido e cristalino.

MESTRES ASCENCIONADADOS

São a hierarquia superior. Eles estão entre Deus e os Anjos. Quando falamos com os anjos, quando pedimos alguma coisa para eles, na verdade, estes sêres alados não tem autonomia para resolver o problema, assim eles pedem permissão para os Mestres Ascencionados para realizar o pedido. Evidentemente, estamos falando de um pedido que venha interferir no kharma. Quando se trata de um assunto simples, aí os anjos podem tratar por si mesmos.
Eles foram humanos e trouxeram uma mensagem de Deus - e todos foram reconhecidos como ENVIADOS. Depois que deixaram de existir em nosso plano físico, continuaram sendo mensageiros de Deus, em esferas mais elevadas. Eles pertencem á GRANDE FRATERNIDADE BRANCA, e continuam auxiliando a humanidade se esta assim o deseja.

Eles são os dirigentes dos 7 Raios. Para cada raio existe o seu condutor. Ninguém jamais conseguiu mestria sobre todas as circunstâncias externas sem o auxílio das Ascencionadas Legiões das Luzes. Quando os homens apelam por Deus estes apelos são percebidos e respondidos pelos Mestres Ascencionados. As vibrações das esferas são tão sutis e delicadas que sómente pouquíssimas pessoas são capazes de receber impressões com clareza suficiente para agir de acordo com elas. Quando os Mestres encontram, realmente, um receptáculo instruído, incorporado numa pessoas física, então se torna fácil transmitir a Verdade á global humanidade através destes receptáculos.
Os Mestres nos trarão imediatamente o que solicitamos, pois ao fazermos as invocações, estamos sendo um canal para que eles possam se infiltrar no mundo das formas e irradiar toda Sua Luz e Poder. Cada um de nós ao fazer qualquer uma destas invocações , pode considerar-se um TRABALHADOR DA LUZ, um colaborador aqui na Terra, um canal, para que se instale a Harmonia e a Perfeição.
Veremos então, alguns destes Grandes Mensageiros:
PRIMEIRO RAIO - AZUL
O Mestre Ascencionado EL MORYA é o guardião deste Raio. Seu santuário está em Darjeeling, na ïndia. Ele representa a vontade de Deus. Sua cor é o Azul e sua melodia-chave se emana na música Pomp and Circunstance, de Elgar. No tempo do Mestre Jesus ele foi Melchior, um dos tres sábios dos países do Oriente. Ele foi o lendário Rei Arthur da Sagrada Taça Graal, bemo como o humanista e estadista Thomas Morus, que escreveu A Utopia.
As pessoas do primeiro Raio são muitas vezes fáceis de serem reconhecidas em relação ás outras, em geral essas pessoas possuem ilimitada força e energia. Elas criam e constroem, possuem ação, são líderes natos.
Quem tiver necessidade de energia, força, resolver questões financeira, empregos, deverá invocar o Mestre El Morya, repetindo as frases: "EU SOU a força de Hércules, EU SOU minha ilimitada força e poder. Nunca desanimo"
SEGUNDO RAIO - DOURADO
O Segundo Raio, de cor dourada, é o raio do educador e do professor. O Mestre Ascencionado LANTO foi, em tempos passados, um grande governante da China e fez sua ascensão há muitos séculos. Depois conquistou o direito de assumir maiores encargos e foi assim que ele transferiu a custódia de seu Templo de Luz ao seu discípulo Confúncio, que, presentemente lá trabalha. Mas, no seu grande amor, o Mestres Lanto, resolveu ficar por aqui para ajudar a Terra, nesta época de crise.
Esta chama Dourada representa sabedoria, equilíbrio e iluminação. Deve-se sempre visualizar esta cor envolvendo nosso corpo, quando necessitamos dos atributos que ela pode nos dar.
TERCEIRO RAIO - ROSA
A Mestra ROWENA é a responsável por este raio. Ele representa o Amor, tanto espiritual, como físico, adoração, beleza e fraternidade.
As pessoas que a ele pertencem amam a beleza em todas as formas de expressão e são amáveis e compassivas.
A Mestra Rowena está pronta para servir a todos que a procuram. Ela estimula, mantém e protege, não só os g&enios que já conseguiram alcançar o topo da escada, como também, igualmente, os humildes aspirantes que acabam de colocar os pés no primeiro degrau, em direção á meta. Ela guarda o símbolo da Liberdade. O Foco de Luz da Chama da Liberdade guardada pela Mestra Rowena situa-se no sul da França, em Chateau Liberté, no plano físico.
Sua música é a "Maseillaise", em prol da Liberdade, desde aquele tempo da libertação da França.
Invoque-a para fortificar relacionamentos afetivos e ativar a chama interior de sua alma gêmea. É a cor mais perfeita. Utilize-a sempre que necessitar emanar bons fluídos para alguém.
QUARTO RAIO - BRANCO
É invocado para harmonia, paz, equilíbrio, ascensão. Também afasta o Gênio Cobtrário. Seu Mestre Guardião é o Mestre Ascencionado SERAPHIS BAY. Sua proteção está subordinada a atual Chama da Ascensão de Luxor, Egito, que foi levada, por ele e outros devotos, para lá, antes de submergir, nas ondas do aceano, o continente de Atlântida.
As emanações de vida que pertencem a este raio, são geralmente, dotadas de talento artístico, com tendências para música, danças clássicas, teatro de óperas, pintura, escultura e arquitetura. tais pessoas são quase sempre abençoadas com o poder espiritual e cheias de ânimo, além de possuírem o dom de "penetrar e ver através das coisas". Sua melodia- chave de reconhecimento é "Sonho de Amor" de Frantz Liszt.
QUINTO RAIO - VERDE
 
Utiliza-se esta luz para a Verdade Eterna, saúde física, abundância e a concentração.
Seu Mestre é HILARION. Na época da missão de Jesus, ele foi o apóstolo Paulo. Seu santuário, está no campo etéreo, situado sobre a Ilha de Creta.
A chama verde é curadora. Deve-se copreender que tanto pode ser a cura do físico, como também é a cura da alma da humanidade.
SEXTO RAIO - RUBI
O Sexto Raio representa o dinamismo, coragem, força e deve também ser usado numa situação de emergência.
O Mestre Jesus juntamente com o Mestre Kuthumi, foram seus diretores até pouco tempo, até quando se elevaram a Instrutores do Mundo. Hoje sua responsável é a MESTRA NADA. Seu templo de iluminação encontra-se na América do Sul. A Mestra Nada foi noutra encarnação Maria, Mãe de Jesus. Juntas, elas efetuam seus trabalhos de benefçio á humanidade.
Os anjos que pertencem ao Templo Rubi, recebem e enviam a êssencia divina aos suplicantes da Terra, em caráter de emergência. Por isso, recorremos a este Raio e á Mestra Nada nestas situações.
Costuma- se prestar homenagens á esta mestra do Raio Rubi, no início da Primavera, quando a natureza, aparentemente "morta", desperta para a vida.

SÉTIMO RAIO - VIOLETA
O Mestre SAINT GERMAIN realizou sua ascensão no ano de 1684. É tarefa do Sétimo Raio instruir a humanidade de como conseguir por meio da Chama Violeta a libertação, tramsutar seus erros, transformar-se e tudo recomeçar. É o Raio da Transmutação, da Purificação e da Magnetização. É um instrumento cósmico e divino, usado pelas Ascencionadas Legiões da Luz, para libertar toda vida prisioneira.
A Grande Hierarquia Espiritual presta á humanidade,um grande ato de amor, em cada ano, no noite de São Silvestre. Por isso, devemos realmente ter dentro de si, a vivência da expressão "Novo Ano", pois nesta noite, cada emanação de vida passa por um processo de purificação através do Fogo Transmutador e assim, aquele que assim crer, estará sendo libertado das energias desarmônicas que o prejudicam.
Estamos entrando na Era de Aquário e com ela recebemos a proteção da Chama Violeta transmutadora dirigida por nosso amado Mestre Saint Germain.


De uma coisa pode-se ter certeza: trabalhando com os Mestres Ascencionados só poderemos chegar ao sucesso e a nossa verdadeira vitória.

Estamos vivendo a nossa Encarnação de Ouro, o livre arbítrio não nos foi tirado, mas agora a escolha é clara: a luz ou as trevas. Toda essa hierarquia cósmica, estes seres maravilhosos e dentre eles, os Anjos, se fazem presentes como nunca, únicamente para nos salvar. Isso está acontecendo graças ao grande trabalho dos Mestres Ascencionados e de seus trabalhadores na Terra.


É só querer...eles estão aí....à nossa espera!







quinta-feira, 28 de julho de 2011

LIVROS INTERESSANTES, MUITOS BONS PARA SEREM LIDOS

Alicerce do Paraíso, os cinco volumes - Meishu-Sama
Peça e será concedido, de Esther e Jerry Hicks
A força dos sentimentos, de Maria Cristina Milred 
O Segredo
A Força da Atração

FELICIDADE


Em todos os tempos, o ser humano aspirou à felicidade, primeiro e último objetivo do homem e meta de todo preparo, esforço e aperfeiçoamento. Mas quando poderão as criaturas consegui-la de fato? A maioria, não obstante ansiar pela felicidade, permanece vítima das desgraças e deixa este mundo antes de desfrutar a alegria de vê-la concretizada.
Será, então, a felicidade algo tão difícil de se conseguir? Devo dizer que não. A felicidade baseia-se na eliminação de três fatores principais: doença, pobreza e conflito. Como essa eliminação não é fácil, a maior parte das pessoas submete-se a uma forçada resignação.
Tudo se enquadra dentro da Lei de Causa e Efeito, e a felicidade não foge a essa lei. Descobrir sua causa será, pois, descobrir a chave do problema. A solução da incógnita está na compreensão do amor altruísta. Lutar pelo bem-estar do próximo é a condição essencial para nos tornarmos felizes. O mundo, entretanto, está repleto de pessoas que buscam a felicidade apenas para si, indiferentes à desgraça alheia.
É uma tolice almejar a felicidade semeando a infelicidade. É como a água de um recipiente: se a empurramos, ela volta; se a puxamos, ela se afasta. A necessidade da Religião reside nesse ponto. O amor pregado pelo cristianismo e a caridade búdica têm por propósito infundir a fraternidade no coração humano. Contudo, essa verdade tão simples é difícil de ser reconhecida pelo homem.
Deus, por meio de Seus representantes, criou as religiões, que por sua vez estabeleceram doutrinas, através das quais são indicadas as bases do viver. São as religiões que nos ensinam a existência de um Ser Invisível, para, com a mais pura intenção, conduzir-nos ao caminho da Fé. Não é pequeno o empenho requerido para salvar uma pessoa. A vida, realmente, não tem sentido para a maioria, que, não sendo ensinada a crer no invisível, parte para o Além indiferente aos ensinamentos, ludibriada e perdida nas trevas. Todavia, para os que souberem desfrutar da alegria de viver, extasiar-se com as verdades, conseguir vida longa e o meio de serem verdadeiramente felizes, o mundo será, sem dúvida, um paraíso digno de ser vivido.
Nós afirmamos que, para nos tornarmos felizes, há um caminho cujo rumo está indicado neste livro, apresentado com tal propósito. 1º de dezembro de 1948

Ciganos do Oriente

Compostas por aqueles que em encarnações anteriores tiveram grande conhecimento da espiritualidade e de magia, a maioria encarnou entre o Povo Cigano e de tal povo preferiram guardar a imagem com a qual aparecem para nós. 
Em geral denominam-se ciganos do oriente, para situarem de onde vêm, pois viveram no antigo oriente médio ou no extremo oriente.
São mais antigos, lembra-se de tempos mais remotos em que foram conhecedores do poder e da magia dos antigos templos.
Não são tão sutis quanto o Povo do Oriente, mas também não são tão mundanos quanto os Ciganos (europeus, apenas para explicar).
Levam tudo muito a sério, mas também são alegres, gostam de cantorias, bebem licores, vinho branco, chás de frutas, alguns fumam outros não, “Comem” (oferendas) comidas ciganas e muitas frutas e frutos da terra.
Gostam muito de flores em suas oferendas e trabalham com cristais, cromoterapia, numerologia, astrologia, limpezas de aura, uso dos chacras, fluidoterapia, fluidificação de água com fins curativos, aromoterapia, taro, e outros jogos e magias de seu conhecimento.
Gostam muito de trabalhar com a cura física e com a doutrinação que cura espiritualmente.

É o cigano dos mistérios e da magia do mal. Trabalha com uma panela de pedra. Ali ele coloca um boneco e faz sua magia. Embora seja o único cigano que faz magia do mal, é um bom protetor. É um companheiro para todas as horas. Este cig meu companheiro, é o meu zelador dos meus caminhos e da minha Tsara. Ruan adora comer pimenta; sua preferida é a pimenta-do-reino. A esse respeito, ele diz:
- É de coisa quente que se faz magia.
Esse cigano é perigoso. É muito difícil engana-lo, pois é muito desconfiado. Ele nunca olha nos olhos dos outros. Sua roupa é toda vermelha. Ele é moreno, tem cabelos e olhos pretos e usa 21 punhais de prata.

CIGANO PABLO

Quando vivo, chefiava uma tribo de ciganos que na maior parte do tempo acampava pelas terras de Andaluza, como em minha tribo as tradições eram passadas de geração para geração e de pai para filho, herdei a chefia da tribo ainda jovem de meu pai.

Aprendi tudo que era necessário aprender com os antigos da tribo, que para nós ciganos, são as pessoas mais sábias sobre a face da terra.
Durante o tempo em que chefiei a tribo sempre recorri a eles em busca de sabedoria para solucionar problemas ou quando tinha dúvidas ou quando necessitava tomar qualquer decisão que fosse de maior responsabilidade, nunca gostei de tomar qualquer decisão, sem antes consultar a sabedoria dos antigos.
Quando nasci, fui prometido como todos os ciganos a filha de um dos ciganos da tribo, crescemos juntos e aprendemos a gostar um do outro e assim foi até atingirmos a idade necessária para contrairmos o matrimonio, enquanto isso aprendi com os antigos, todos os truques e todas as magias ciganas.
Tornei-me um grande conhecedor de magias e adquiri um pouco da sabedoria dos antigos.
Chegada à época das núpcias, casamo-nos aos quinze anos de idade, aprendemos juntos como liderar a nossa tribo.
Tivemos três filhos machos.
Segundo a tradição todos foram prometidos e assim seguimos nossos caminhos, com muita alegria e muita fartura.
Trabalhávamos arduamente cada um em seu oficio em prol da coletividade.
Com os filhos crescendo e a nossa felicidade a largos passos, começaram os problemas, o meu primogênito, ao qual cabia substitui-me na liderança da tribo, resolveu rebelar-se contra a nossa tradição, não querendo aceitar o acordo de núpcias feito entre nossa família e a de sua prometida, assim causando um conflito na tribo, como se não bastasse, resolveu envolver-se com outras moças da tribo, causando o desagrado de todos os homens que já se estavam como ele prometidos a essas moças, até que seus atos o levaram a um conflito direto com um dos jovens da aldeia, e pelas leis da tribo, levaram a um duelo pela honra.
Eu já sabia de antemão como terminaria esse duelo, pois, com a sua revolta, o meu filho não quis aprender comigo a arte de duelar, com isso encontrava-se despreparado para o duelo.
Vendo-me com grande dor no coração por saber-me impotente em relação ao fato de também se fazer cumprir a lei da tribo (essa lei nunca havia sido utilizada na tribo).
Tornei-me introspectivo e voltei-me para os antigos em busca de consolo. Sabendo os antigos pelo grande amor que nutria por meu primogênito, mostraram-me que havia uma maneira não muito ortodoxa de poupar o meu filho da morte certa, porem, sendo um bom lutador e tendo o conhecimento da magia do duelo, sabia também que não deveria vencer o jovem.
Assumi o lugar de meu filho (deveria morrer em seu lugar).
E assim fiz, desencarnei nas mãos de um jovem cigano irado com o fato de meu filho ter desonrado a sua prometida.
Deixei em desgraça uma jovem mulher e três filhos rezando a Santa Sara para que cuidasse de todos.
Durante o tempo que me foi permitido velar por minha tribo e minha família, fiquei ao lado de todos tentando colocar algum juízo na cabeça de meu filho, esperando que depois do fato acontecido ele resolvesse aceitar o seu destino, mesmo depois de tudo o que fiz, esse meu filho ainda se rebelou com o que fiz, continuou em sua busca de algo que nem ele sabia o que era.
Nessa sua busca desse algo, foi levando em seus passos o meu segundo filho, que sem o pai, estava completamente envolvido pelo irmão mais velho, tentei de todas as maneiras que pude e me foi permitido, influenciar ao primogênito o sentido de dever, não conseguindo meu intento e vendo que o meu tempo estava se escoando, fiz o que qualquer pai amoroso faria, mudei o meu objetivo para o segundo filho, que com mais jeito que o mais velho aceitou tudo o que eu pude passar para ele.
Descobri então que com o segundo filho, tudo era mais fácil, pois, este já trazia de berço todos os dons que me foram passados por gerações, então investi neste, sempre com o intuito de regenerar o mais velho, indicando ao mais novo o caminho dos antigos, fiz com que este filho conseguisse com o seu carinho trazer o mais velho de volta, pois o segundo filho mostrou-se mais sábio que o pai e abrindo os olhos do primeiro filho o trouxe para o seio da tribo.
Depois de regenerado o meu primeiro filho retomou o seu lugar na tribo, ocupou o meu lugar, o qual o meu segundo filho controlou com muita sabedoria, ate a volta do irmão.
Ai eu pude seguir o meu caminho no astral ate o dia em que pude tornar a encontrar a minha amada, e voltar a montar a minha tribo no astral.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

   ORAÇÃO PARA O POVO CIGANO

Ó meu povo cigano, te entrego a minha vida para que faça dela o melhor assim como vocês fizeram em suas vidas passadas, a grande luta para o bem , te entrego a minha vida e faça dela sempre um escudo e verdade que ninguém se aproxime de mim com intenções que nao são dignas de minha pessoa, que nenhum mal visível ou invisível possa chegar até a mim , não permita que nada nem ninguém consiga me enxergar para fazer o mal, feche meu corpo , dai-me a intuição e a sabedoria necessária porque eu possa ajudar meu povo que a minha vierem me procurar, não deixe nunca que eles voltem de onde vieram sem a sua ajuda, permita meus ciganos que todos que de mim se aproximarem com más intenções apenas faça de meu corpo um espelho para que possa refletir nesta pessoa todo mal que me deseja , e seja sempre o caminho aberto e a estrada ampla , reta e limpa de minha vida , confio em vocês. Quero paz e calma para poder trabalhar hoje. E sempre quero e me orgulho de ter vocês. Namastê. Gracias …

Cigano Rodrigo Rei dos Ciganos

Cigano Rodrigo Rei dos Ciganos”Poderosa entidade que hoje incorpora e trabalha em centros espíritas de Umbanda, através da incorporação de médiuns.O PrincípioRodrigo nasceu por volta do ano de 1.800, na região da tríplice fronteira, onde se fundiam as terras de Brasil, Paraguai e Argentina, numa área pouco delimitada onde não se sabia ao certo em que país se estava.Os Ciganos são um povo nômade, estão em constante movimento, para eles não existem barreiras. Na época de Rodrigo, existiam inúmeros grupos ciganos na região, com números que variavam desde 20 até mais de 100 pessoas por grupo.O pai de Rodrigo, Manolo, já era o Rei dos Ciganos na época, porém sua influência limitava-se a poucas aldeias, pois os povos eram muito separados. Rodrigo, por nascimento, não tinha o trono garantido, pois a família era composta por muitos irmãos, e logo, vários tinham chance de assumir o cargo do pai no futuro.A infância de Rodrigo foi bastante normal, vivendo junto com sua família. Foi na adolescência que se aproximo

Cigana Carmem

CIGANA CARMEM, AMOR E SEDUÇÃO
SUA MAGIA NA DANÇA E CASTANHOLAS





É uma cigana encantadora que gosta de festa, música, dança e muitos sorrisos.
Trabalha juntamente com todas as forças da natureza, principalmente as do fogo, pois atua com as Salamandras.
Utiliza estrelas de cinco e seis pontas que representa res
pectivamente a magia e o amor.
Também utiliza a simbologia de uma espiral que é uma forma da antiga escrita voltada para a magia, cura espiritual e física, e a promessa de proteção contínua para a médium e os que a rodeiam.
Há muito tempo não reencarna aqui, mas também faz parte da grande missão de outros seres terrenos e de diversos tipos de entidades.
Tomou a identidade de cigana por ter sido a última em que passou por aqui, e foi preciso haver uma adaptação dela para chegar mais próxima das pessoas deste mundo, e assim atingir mais as massas, podendo assim se expressar e atender aos pedidos das pessoas, trabalhando com os seus sentimentos.
Seu trabalho é feito da seguinte forma: desperta nas pessoas o poder que elas mesmas possuem em realizar coisas boas.
A entidade é uma mensageira de amor, e uma representante do elo de ligações entre tantos mundos.
Nada mais faz do que pedidos a entidades superiores, a respeito dos suplícios dos consulentes, e estes recebem a graça pelo seu próprio merecimento.
O seu trabalho mais importante é o despertar das pessoas para a espiritualidade e para a humildade, que para ela, caminham juntas.
Por isso escolheu a Umbanda, e em especial este templo, onde isto é tratado com bastante cuidado e responsabilidade.
A espiritualidade uniu estas pessoas propositadamente, é claro também, tantos outros grupos espalhados por todo o planeta.
Quando passou por aqui foi uma ciganinha bastante bem humorada, e desde cedo foi iniciada em magia por uma cigana mais velha.
Chamavam-na de feiticeira da tribo. Fez muitas coisas boas, e coisas ruins também, pois trabalhavam com a cura e com interesses próprios, tais como o ouro.
Desencarnou ainda jovem; não se casou, porém já estava prometida a um cigano bem mais velho.
Se revoltou com isto, pois havia se apaixonado por um homem de fora da tribo, e com isto a deixaram de lado por um bom tempo.
Deveria casar-se aos 14 anos, mas tinha que esperar o tal cigano passar por alguns rituais. Foi aí que aproveitou. Mesmo sendo deixada de lado, vivia sempre feliz e sorridente e encontrava-se com o tal homem de uma tribo bastante diferente da dela.
Começou a aprender com ele a magia dos índios e da natureza, e quando sua tribo descobriu, fizeram uma grande festa para ela.
Convidaram toda a tribo indígena e o seu futuro marido matou os dois no meio de toda a tribo, amarrados a uma árvore, com o seu punhal em seus corações.
Foi escolhida esta morte para servir de exemplo a outras ciganas. Mas, desencarnou feliz ao lado da pessoa que amava e com sua personalidade fortalecida.
Material de Trabalho: Bola de Cristal, Pêndulos, muitas pedras, incensos, velas coloridas, entre outros.
Locais de Entrega: Em campos embaixo de uma árvore.
Bebe: Vinho tinto
Fuma: Cigarros de preferência os que contém cravo.

Povo Cigano



s ciganos são um povo nômade amante da música, das cores alegres e da magia, que foi expulso por invasores árabes há quase 3 mil anos da região noroeste da Índia, onde hoje é o Paquistão. Depois de vagar pelas Terras do Oriente, os ciganos invadiram o Ocidente e espalharam-se por todo o mundo. Essa invasão foi uma das únicas na história da humanidade que foi feita sem guerras, dor ou derramamento de sangue. Trata-se de uma invasão cultural e espiritual e ao contrário do que muitos pensam, o Povo Cigano é que foi perseguido, julgado e expulso ao longo do seu pacífico caminhar.
O que não se sabe ainda é se esses eternos viajantes pertenciam a uma casta inferior dentro da hierarquia indiana (os parias) ou de uma casta aristocrática e militar, os orgulhosos (rajputs). Independente de qual fosse seu status, a partir do êxodo pelo Oriente, os ciganos se dedicaram com exclusividade a atividades itinerantes: como ferreiros, domadores, criadores e vendedores de cavalo, saltimbancos, comerciantes de miudeza e o melhor de suas qualidades que era a arte divinatória. Viajavam sempre em grandes carroças coloridas e criaram nomes poéticos para si mesmos.
São mais de 15 milhões de ciganos em diferentes pontos da Europa, Ásia, África, América, Austrália e Nova Zelândia. Quase sempre os ciganos eram bem recebidos nos países onde chegavam. Os chefes das tribos apresentavam-se de forma pomposa, como príncipes, duques e condes (títulos, aliás inexistentes entre os ciganos). Diziam-se peregrinos cristãos vindos do Egito e, assim obtinham licença das autoridades locais para se instalarem.
Na Moldávia e na Valáquia (atual Romênia), os ciganos foram escravizados durante trezentos anos; na Albânia e na Grécia pagavam impostos mais altos. Na Alemanha, crianças ciganas eram tiradas dos pais com a desculpa de que “iriam estudar”, enquanto a Polônia, a Dinamarca e a Áustria puniam com severidade quem os acolhesse. Nos países baixos inúmeros ciganos foram condenados à forca e seus filhos obrigados a assistir à execução dos pais para que assim aprendessem a “lição de moral”. Apenas no país de Gales eles tiveram espaço para manter parte das suas tradições e a língua. Na região de Andaluzia (Espanha), encontraram facilidades e estabeleceram-se. Mesmo assim, durante a inquisição católica, vários deles foram expulsos pelos tribunais do Santo Ofício.
Rotulados injustamente como ladrões, feiticeiros e vagabundos, os ciganos tornaram-se um espelho onde os homens das grandes cidades e de pequenos corações expiaram suas raivas, frustrações e sonhos de liberdade destruídos.
Pacientemente, este povo diferenciado, continuou sua marcha e até hoje seus estigmas não sararam. O homem moderno ainda não aprendeu a viver e deixar viver. Diferente continua sendo o sinônimo de inimigo. Mas a “alma cigana” perfuma o lugar por onde passa. O Povo Cigano é guardião da LIBERDADE.
A vida é uma grande estrada, a alma é uma pequena carroça e a Divindade é o Carroceiro.
Com valores muito diferente dos nossos, os ciganos estão longe de querer o poder e não fazem a mínima questão de ascender na escala social. Os “golpes” que aplicam nos “gadjé” (nome dado aos não ciganos) são mais um meio de provar sua superioridade do que um jeito de enriquecer fácil. É também em nome dessa superioridade (cujas raízes estão em lendas como a de que os ciganos seriam filhos da primeira mulher de Adão, Lilith, e, portanto, livres do pecado original) que eles não aceitam de modo algum ser empregados dos “gadjé” e apegam-se a antigas profissões artesanais que caracterizam suas tribos e são ensinadas desde cedo às crianças.
A família é a base da organização social dos ciganos, não havendo hierarquia rígida no interior dos grupos. O comando normalmente é exercido pelo homem mais capaz, uma vez que os ciganos respeitam acima de tudo a inteligência. Este homem é o Kaku e representa a tribo na Krisromani, uma espécie de tribunal cigano formado pelos membros mais respeitados de cada comunidade, com a função de punir quem transgride, a rígida ética cigana. A figura feminina tem sua importância e é comum haver lideranças femininas como as phury-day (matriarca) e as bibi (tias-conselheiras), lembrando que nenhum cigano deixa de consultar as avós, mães e tias para resolver problemas importantes por meio da leitura da sorte.
O misticismo e a religiosidade, fazem parte de todos os hábitos da vida cigana. A maior parte deles acredita em um único deus (Dou-la ou Bel) em eterna luta contra o demônio (Deng). Normalmente, assimilam as religiões do lugar onde se encontram, mas jamais deixam de lado o culto aos antepassados, o temor dos maus-olhados, a crença na reencarnação e na força do destino (baji), contra a qual não adianta lutar. Quase todos são devotos de “Santa Sara”, que é reverenciada nos dias 24 e 25 de maio, em procissões que lotam Lês Saints Maries de La Mer, em Camargue, no Sul da França.
A sexualidade é outro ponto importante entre os ciganos. E, ao contrário do que se imagina, eles têm uma moral bastante conservadora. Alguns mitos antigos falam da existência das mães-de-tribo, que tinham um marido e um “acariciador”. Outros falam das gavalies de la noille, as misteriosas noivas do fim de noite, com quem os kakus se encontravam uma única vez, passando desde então, a ter poderes especiais. Mas o certo mesmo é que os ciganos se casam cedo, quase sempre seguindo acordos firmados entre as duas famílias. Não recebem nenhum tipo de iniciação sexual e ter filhos é a principal função do sexo. Descobrir os seios em público é comum e natural, mas nenhuma mulher pode mostrar as pernas, pois da cintura para baixo todas são merimé (impuras). Vem daí a imposição das saias compridas e rodadas para as mulheres, que também são proibidas de cortar os cabelos, e nunca sentam à mesma mesa que os homens. Ironicamente, como praticantes da magia e das artes divinatórias, são elas que cada vez mais assumem o controle econômico da família, pois a leitura da sorte é a principal fonte de renda para a maioria das tribos. O resultado é uma situação contraditória, em que o homem manda, mas é a mulher quem sustenta o grupo.
A CULTURA
A cultura dos ciganos, representada por um conjunto de tradições e crenças, está em fase de constante mudança e, em alguns casos, está se desagregando de maneira irreversível perante a hegemonia da cultura da sociedade sedentária. Existem algumas mudanças que permitem prever um caminho em direção a uma tomada de consciência difundida entre Rom, Sintos e Gitanos. No plano social e político, no decorrer dos últimos anos, foi-se delineando um amadurecimento, que resultou no surgimento de formas associativas e de movimentos de âmbito internacional.
Na metade dos anos 60, aconteceu a fundação da União Internacional Romaní, seguida pelo surgimento de numerosas Organizações Ciganas, que apareceram no decorrer dos últimos 30 anos defendendo a causa da minoria cigana e tutelando sua cultura. Algumas delas contam com a participação conjunta de ciganos e gadjê, outras são geridas exclusivamente por membros das diversas comunidades ciganas.
Os ciganos viveram e vivem diante de uma realidade complexa e às vezes difícil de decifrar.
Em meio a situações de desagregação social e à perda de identidade, surgem sinais contrapostos de esperança e de renovação que testemunham uma rebelião contra um destino amargo.
A defesa do direito à diferença; uma diferença que, no caso dos ciganos, pode conter aspectos que para muitos são difíceis de entender e de compartilhar. É preciso ter consciência de que tais formas de “desvio social” não são peculiares à cultura romaní, mas frequentemente, são consequência da secular rejeição oposta a eles pelas sociedades circunstantes.
Os ciganos constituem talvez o último desafio a um modelo de vida voltada à especulação e ao cimento: o futuro deles depende da boa vontade dos povos vizinhos. Eles continuarão a existir na medida em que a sociedade dos gadjê (não ciganos) não ficar indiferente às suas ansiedades, a seus problemas e às suas aspirações.
A LEITURA DAS MÃOS
As linhas das mãos, tem grande importância, a saber:
Por toda energia que conduzem e alimentam
Por elas correm chaves que desvendam o futuro, o presente e o passado
São expressões mutáveis
Revela o comportamento e personalidade do indivíduo
São quatro as linhas principais: do destino, da vida, da cabeça e do coração
Quando uma linha é forte, bem marcada e com poucas divisões e sinais, significa que a energia que por ali corre e normal e repleta de vitalidade
Quando a linha é fraca e com outras demais difusas, significa que a energia é lenta e com vários obstáculos em questão.
LINHA DA VIDA
Passa informações sobre nossa saúde e também sobre o modo como lutamos pelo sucesso.
Normal: Quando seu traçado é bem definido e regular, caracteriza pessoa equilibrada e saudável.
Interrompida: Quando há falhas no seu traçado, indica problemas de saúde ou mudanças radicais na vida.
Em cadeia: Quando o traçado lembra os elos de uma corrente, indica grande inteligência e saúde frágil.
Ramificada: Quando a linha é cortada por traços ascendentes, voltados na direção dos dedos, promessa de riqueza e felicidade. Quando os tracinhos são descendentes, voltados para o pulso, possibilidade de desgostos e sacrifícios.
Dupla: Identifica pessoas com capacidade de se recuperar das doenças e de agir com segurança nas situações difíceis.
LINHA DA CABEÇA
Representa inteligência, criatividade e capacidade de concentração.
Longa: Quando se estende até o pulso, indica pessoa calma, inteligente e responsável.
Curta: Quando não chega até o pulso é porque a pessoa é dispersiva e um pouco limitada intelectualmente.
Em cadeia: Quando seu traçado lembra os elos de uma corrente, indica pessoa nervosa, que pode ter problemas de saúde derivados de pressão alta.
Ramificada: Se ela é cortada por traços ascendentes que se voltam na direção dos dedos, indica bons pensamentos e capacidade de tomar decisões acertadas. Se os traços são descendentes, voltados para o pulso, indicam possibilidade de remorso por decisões tomadas sem reflexão.
Chegando até o Monte da Lua: Define pessoas com tendência ao alcoolismo e outros vícios e a práticas esotéricas não recomendáveis, como a magia negra.
LINHA DO CORAÇÃO
Reflete as nossas tendências emocionais e afetivas.
Normal: Quando seu traçado é regular e bem definido, revela pessoa generosa, simpática, cordial e amorosa.
Grossa: Pessoa ciumenta e aventureira. Quanto mais destacado for o seu traçado, maior o indício de que ela se deixa levar mais pela emoção do que pela razão.
Fina: Identifica aquelas pessoas que, quando estão apaixonadas, se entregam totalmente, esquecendo até as regras morais.
Em cadeia: Quando seu traçado lembra os elos de uma corrente, é sinal de vida amorosa complicada.
Ramificada: Se essa linha é cortada por pequenos traços ascendentes, que sobem em direção aos dedos, é sinal de pessoa de temperamento alegre e sempre disposta a ajudar os outros. Os tracinhos descendentes, que seguem em direção ao pulso, são sinais de inimizades e obstáculos à realização amorosa.
LINHA DO DESTINO
Refere-se à vida profissional as alegrias e dificuldades que poderemos encontrar no trabalho e nossas chances de sucesso social.
Linha dos filhos: Indica a capacidade que a pessoa tem de gerar filhos. Se for apenas uma linha, é porque, provavelmente, ela sé terá um filho. Se forem duas, é porque ela poderá ter dois filhos. Se forem três, três filhos, e assim por diante.
Linha da intuição: Indica grande capacidade de perceber e seguir o que dita a intuição.
Linha das viagens: Se o seu traçado for curto, é porque, possivelmente, a pessoa só fará uma viagem importante. Se for longa, indica a possibilidade de viagens constantes.
Linha lasciva: Sinal de pessoa leal e sincera, desejosa de ajudar os mais necessitados.
Normal: Quando ela tem traçado bem definido, promete uma vida profissional sem grandes problemas ou turbulências.
Interrompida: Quando seu traçado não é contínuo, indica possibilidade de mudanças súbitas de profissão ou de situação financeira.
Ramificada: Quando ela é cortada por traços ascendentes, que apontam na direção dos dedos, anuncia sucesso profissional. Quando esses traços são descendentes, apontando para o pulso, anunciam problemas no trabalho.
Começando junto à Linha da Vida ou dentro do Monte de Vênus: – Mostra interferência da família ou dos filhos nos rumos da vida profissional.
Começando no Monte da Lua: Indica possibilidade de sucesso em atividades religiosas, políticas e artísticas e ainda chances de grande projeção social.
LINHA SOLAR
Pode não aparecer em todas as mãos, porque indica características muito especiais, relacionadas ao talento e qualidades artísticas.
Reta e bem definida: Indica que a pessoa terá sucesso no ramo artístico.
Curta: Para que a pessoa tenha sucesso na área artística, terá de lutar muito. Possivelmente não receberá ajuda de ninguém e tudo o que conseguir virá pelo esforço próprio.
Ramificada: Quando ela é cortada por traços ascendentes, que apontam na direção dos dedos, é sinal de grande sucesso artístico. Quando os traços são descendentes, apontando para o pulso, indicam sucesso apenas regular.
Começando no Monte de Vênus: Indica que a pessoa já nasceu com talento para as artes ou que pode ser ajudada pela família nessa área.
Começando acima da Linha da Cabeça: Indica que o sucesso nas atividades artísticas vai demorar para chegar.
LINHA MERCURIANA
Também chamada de Linha da Intuição ou linha da inteligência, refere-se à inteligência, aos dons intuitivos ou à mediunidade. Pode também dar indicações sobre nossa saúde e vida social.
Longa: Prenúncio de vida saudável e dons para o comércio e para as atividades científicas.
Curta: É um alerta para a necessidade de cuidar bem da saúde, porque o organismo apresenta alguns pontos fracos.
Em cadeia: Quando seu traçado lembra os elos de uma corrente, sugere que a pessoa está sujeita a passar por problemas afetivos e deve, por isso, evitar situações de confronto e conflito.
Seguindo até o Monte da Lua: Quem tem essa linha na palma da mão possui muita imaginação e talento para a poesia. Usa sua inspiração para se orientar nos negócios e quase nunca erra, o que lhe garante uma boa situação financeira.
Seguindo até entre as Linhas do Coração e da Cabeça: Significa que a pessoa tem boa saúde, mas terá de superar muitos obstáculos na vida e trabalhar bastante se quiser progredir.
SANTA SARAH
Protetora do Povo Cigano
O mistério envolve o povo cigano como o ar que ele respira. Da Lua Cheia, retira a magia; da dança e da música, toda a alegria; da natureza, a força e a energia. E para Santa Sarah, ele volta sua fé, seus pedidos e seus agradecimentos.
Saiba tudo sobre essa santa, as muitas lendas em torno da sua vida, do seu poder e uma oração para invocá-la, antes de ler as cartas e também nos momentos difíceis.
O inicio de sua Adoração
Para desvendar um pouco do mistério que acompanha Santa Sarah e descobrir porque ela é tão venerada pelos ciganos, é preciso voltar ao tempo, na Idade Média, particularmente na Europa.
A religiosidade faz parte da vida dos ciganos, desde o nascimento até a morte, e para poderem cultuar seus santos sem serem vítimas dos preconceitos dos não-ciganos é que eles costumavam se converter à religião dominante do local em que se estabeleciam. Então, os grupos que foram para a Europa se declararam católicos e se ligaram a Santa Sarah que tinha origens misteriosas e a pele morena, como eles.
História Ou Lenda ?
Dessa aura de mistério que pairava na imagem de sarah surgiram várias versões para o seu aparecimento. Ela é considerada uma santa católica, mas não passou pelos processos de canonização desta igreja. Também se liga a uma forte tradição européia medieval, o culto às virgens negras. Muitas santidades femininas, representadas por estátuas negras, foram adoradas durante toda a Idade Média. E muitos católicos transformavam as igrejas em santuários de peregrinação.
Uma das lendas diz que sara era uma escrava egípcia de uma das três Marias, Madalena, Jacobé ou Salomé; e junto com José de Arimatéia, Trófimo e Lázaro foi colocada, pelos judeus, em uma barca sem remos e alimentos. Talvez por um milagre, ou por obra do destino, eles chegaram a salvo a uma praia próxima a Saintes Maries de La Mer, em Camargue , região do sul da França.
Outra versão conta que Sarah era moradora de Camargue e teve piedade das Marias, resolvendo ajudá-las. Também dizem que ela era uma rainha das terras de Camargue ou uma sacerdotisa do antigo culto celta ao deus Mitra.
Uma das explicações para estas lendas é que em Camargue existiram várias colônias de antigas civilizações, como a egípcia , a cretense, a fenícia e a grega. Por isso, muitos poetas e menestréis contaram a lenda de Sarah, de acordo com o que ouviram de seu povo, e assim, o mito em torno dessa poderosa santa foi difundido pelo mundo e ela continua, até hoje, a ser adorada entre as comunidades ciganas.
ORAÇÃO À SANTA SARAH:
” Estrela azul de D’arma, pelos sagrados símbolos do triângulo e da cruz, eu ( diga seu nome ), nascido(a) no dia ( data de seu nascimento ), regido(a) e protegido(a) por ( planeta regente e anjo da guarda ), peço ao Povo Cigano, ( mentalizar a energia que o(a) acompanha, apenas o cigano ou cigana ), que traga para mim ( pedidos em número impar ), em nome de Santa Sarah e do Mestre dos mestres, Jesus o Cristo.
Que assim seja para todo o sempre.”
Amem.
SUNTÔ MARIÔNÊ ( Ave Maria Cigana ):
“Suntô Mariônê, pérdô san andô svêtô ô Del tu sai.
Uusi san angla sá e juvliá uusôi ô fruktô kai arakádilas tutar Jesus.
Suntô Mariônê Del leski dei rudissar paala amarrê becerra akaanak ai kana méérassa.
Amém”
ROMANÊS O IDIOMA DO POVO CIGANO:
O Romanês, um idioma muito diferente do português e exclusivo deste povo, é um vocabulário que se originou pela mistura de muitos outros, resultado de suas andanças pelo mundo. É impossível vinculá-lo a um único idioma ou etnia.